Logo Câmara Municipal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 27 de Junho de 2017
Fotos Câmara Municipal
Mapa do Site | Glossário Acessibilidade
esqueceu senha Preciso de ajuda
xxxxxxx

Vereadores

VereadoresJones MouraInformações Pessoais

Jones Moura

Jones Moura
  • nome civil: Jones Barbosa de Moura
  • data de nascimento: 16/06/1974
  • partido: PSD
  • naturalidade: Rio de Janeiro
  • endereço: Praça Floriano s/nº, Prédio: Anexo - Sala: 804 - Centro - Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-050
  • telefones: 3814-2570/2571
  • fax:
  • vereador na Internet:
  • correio - contato@jonesmoura.com.br
  • Site Pessoal - www.jonesmoura.com.br


Nascido em Nova Iguaçu, em 1974, Jones Barbosa de Moura foi criado em berço evangélico, na igreja batista, e, desde cedo, já demonstrava talento para defender seus ideais e os direitos da população. Aos 17 anos, conquistou a presidência do Grêmio Estudantil no Instituto de Educação Rangel Pestana, na mesma cidade, representando quase cinco mil alunos que cursavam do Ensino Fundamental ao Profissionalizante. “Naquele ano de 1993, nós participamos de todos os movimentos, inclusive do ‘Fora Collor’, além do que visava à criação da União dos Estudantes Secundaristas. A partir daí, tive muita inclinação para as questões políticas”, contou Jones.

Mas foi na Guarda Municipal do Rio de Janeiro que esse geminiano mais se destacou em sua trajetória de militante. Na instituição desde março de 1996, após prestar o concurso no ano anterior, Jones trabalhou em vários setores, o que lhe permitiu conhecer, a fundo, o grande desgaste sofrido pelos servidores e a falta de atenção por parte dos governos ao longo dos anos. “No final de 2012, percebendo a ineficácia dos sindicatos da nossa categoria, nós vimos a necessidade de nos unirmos e, com outros integrantes da GM-Rio, fundamos, em 2012, o movimento Frente Manifestante”, disse Jones.

Pode-se dizer que as histórias desses integrantes e a de Jones se confundem em uma só. Marcos Crisciullo, Gelson Thomaz e Eduardo Cabral, assim como Jones, encabeçaram uma série de ações em prol de melhorias para os guardas municipais, começando por uma grande manifestação em frente à prefeitura do Rio em janeiro de 2013. “O movimento, mais tarde, culminou na greve de fevereiro de 2014. Como nas ações anteriores, a nossa bandeira eram melhorias para a categoria, desde salário, plano de carreira à segurança dos agentes”, lembra Jones, que chegou a representar os GMs, em várias ocasiões, em Brasília, tanto em encontros com o Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou ilegal a paralisação da categoria, quanto no Congresso Nacional, pressionando o governo federal para que aprovasse o Estatuto Geral das Guardas Municipais.

Alguns dos resultados mais significativos do movimento foram a Lei Complementar 135/2014, que fez valer o plano de carreira da GM-Rio, e a conquista da Lei Federal 13.022/2014, que estabeleceu o Estatuto Geral. Mas os integrantes do Frente Manifestante foram além da sua própria instituição: em novembro de 2015, fundaram o movimento “Mobiliza Servidor”, com protestos e passeatas, chamando a atenção do governo do Rio para os pleitos de todos os servidores do município. “Nós precisávamos trazer mais pessoas para essas lutas”, destacou Jones.

Como é comum acontecer aos revolucionários, nesse meio tempo Jones e os colegas sofreram perseguição política dentro da GM-Rio, que culminou em suspensões de 90 dias e até exoneração. Hoje, o grupo não só deu a volta por cima como passou a integrar a equipe de assessores do agora vereador Jones Moura, estendendo a luta para a Câmara Municipal e, assim, à toda a população carioca. “Nesses quatro anos de mandato, a gente vai fiscalizar o prefeito nos seus atos, providenciar os projetos de lei para atender à sociedade, com especial atenção aos servidores públicos, inclusive os guardas municipais”, enfatizou Jones.

Mas foi na Guarda Municipal do Rio de Janeiro que esse geminiano mais se destacou em sua trajetória de militante. Na instituição desde março de 1996, após prestar o concurso no ano anterior, Jones trabalhou em vários setores, o que lhe permitiu conhecer, a fundo, o grande desgaste sofrido pelos servidores e a falta de atenção por parte dos governos ao longo dos anos. “No final de 2012, percebendo a ineficácia dos sindicatos da nossa categoria, nós vimos a necessidade de nos unirmos e, com outros integrantes da GM-Rio, fundamos, em 2012, o movimento Frente Manifestante”, disse Jones.

Pode-se dizer que as histórias desses integrantes e a de Jones se confundem em uma só. Marcos Crisciullo, Gelson Thomaz e Eduardo Cabral, assim como Jones, encabeçaram uma série de ações em prol de melhorias para os guardas municipais, começando por uma grande manifestação em frente à prefeitura do Rio em janeiro de 2013. “O movimento, mais tarde, culminou na greve de fevereiro de 2014. Como nas ações anteriores, a nossa bandeira eram melhorias para a categoria, desde salário, plano de carreira à segurança dos agentes”, lembra Jones, que chegou a representar os GMs, em várias ocasiões, em Brasília, tanto em encontros com o Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou ilegal a paralisação da categoria, quanto no Congresso Nacional, pressionando o governo federal para que aprovasse o Estatuto Geral das Guardas Municipais.

Alguns dos resultados mais significativos do movimento foram a Lei Complementar 135/2014, que fez valer o plano de carreira da GM-Rio, e a conquista da Lei Federal 13.022/2014, que estabeleceu o Estatuto Geral. Mas os integrantes do Frente Manifestante foram além da sua própria instituição: em novembro de 2015, fundaram o movimento “Mobiliza Servidor”, com protestos e passeatas, chamando a atenção do governo do Rio para os pleitos de todos os servidores do município. “Nós precisávamos trazer mais pessoas para essas lutas”, destacou Jones.

Como é comum acontecer aos revolucionários, nesse meio tempo Jones e os colegas sofreram perseguição política dentro da GM-Rio, que culminou em suspensões de 90 dias e até exoneração. Hoje, o grupo não só deu a volta por cima como passou a integrar a equipe de assessores do agora vereador Jones Moura, estendendo a luta para a Câmara Municipal e, assim, à toda a população carioca. “Nesses quatro anos de mandato, a gente vai fiscalizar o prefeito nos seus atos, providenciar os projetos de lei para atender à sociedade, com especial atenção aos servidores públicos, inclusive os guardas municipais”, enfatizou Jones.

 

ícone

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara:

©2011 Câmara Municipal do Rio de Janeiro créditos estatísticas

Câmara Municipal do Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto
Praça Floriano, s/nº - Cinelândia - Cep: 20031-050
Tel.: (21) 3814-2121 | e-c@mara: